POESIE

Fernando Pessoa
Nausea. Vontade de nada.

Nausea. Vontade de nada.
Existir por não morrer.
Como as casas têm fachada,
Tenho este modo de ser.
Nausea. Vontade de nada.
Sento-me á beira da estrada.
Cansado já do caminho.
Pouso p’ra o logar visinho.
Mas nausea. Nada me pesa
Senão a vontade preza
Do que deixei de pensar
Como quem fica a olhar…

Aqui la version en italiano

Lascia un commento

Il tuo indirizzo email non sarà pubblicato. I campi obbligatori sono contrassegnati *

Pin It on Pinterest

Shares
Share This

Condividi se ti è piaciuto!

Dammi una mano, fammi conoscere ai tuoi amici!